'Robô mochileiro' é vandalizado após rodar pelos EUA de carona com humanos

Responsáveis pelo robô dizem que não conseguirão consertá-lo
"Um robô que percorreu milhares de quilômetros na Europa e no Canadá de carona com humanos foi vandalizado nos Estados Unidos.

BBC Brasil 

Batizado de HitchBOT, o androide foi criado como parte de um experimento social para testar a relação de confiança entre robôs e humanos.

O incidente aconteceu no Estado americano da Filadélfia, nos Estados Unidos; acredita-se que ela viajado mais de 10 mil quilômetros.

Uma das responsáveis pelo projeto, Frauke Zeller, professora-assistente da Universidade Ryerson em Toronto, no Canadá, explicou o que aconteceu com o robô.

"Nós queríamos ver o que as pessoas fariam com esse tipo de tecnologia. O robô não consegue se mover sozinho, então, dependia da ajuda das pessoas para ser levado de um lugar para o outro", afirmou.

Robô percorreu Europa, Canadá e EUA de carona
"Ou seja, o que você quer fazer? Você quer ajudá-lo? Ficamos surpresos com as respostas positivas", acrescentou.

"Infelizmente, na manhã de sábado, ele foi vandalizado na Filadélfia. Nós acabamos de ver as últimas imagens e acho que não vamos conseguir consertá-lo. Temos que apenas sentar e ver do ponto de vista da pesquisa o que podemos aprender desse episódio antes de tomar novas decisões".

Ela diz ter ficado decepcionada com o que aconteceu.

"Fomos pegos de surpresa. Temos visto uma reação sentimental muito forte nas redes sociais. Todos estão tristes com o que aconteceu. É impressionante. É inacreditável quantas mensagens foram enviadas no Twitter".

"Nós continuamos a nos perguntar se os robôs podem confiar nos humanos. Eu ainda acho que sim. Mas às vezes coisas ruins acontecem com bons robôs".

Ao longo da viagem, a máquina 'trocava ideias' com pessoas
Feito de uma geladeira de cerveja e material de sucata, o HitchBOT percorreu milhares de quilômetros no Canadá, na Alemanha e na Holanda. A jornada dependia da boa vontade dos motoristas, que o apanhavam à beira de rodovias e o deixavam mais próximo do destino final.

Ao longo da viagem, a máquina "trocava ideias" com as pessoas, e ─ através de seus equipamentos de GPS e 3G ─ traçava uma espécie de diário nas redes sociais.

Durante as caronas, além de testar a interação com humanos, o robô também aproveitava para literalmente recarregar as baterias, ligado ao isqueiro do carro, por exemplo.

O HitchBot também dispunha de painéis solares para obter a energia necessária para as suas atividades, como tirar dezenas de selfies e postá-las no Instagram."

Nenhum comentário: