Facebook e Marketing Digital: A verdade que nunca contaram a você

.
Renato Melo, adNEWS


"Facebook e Google hoje são as duas grandes forças do marketing digital. No entanto, enquanto o Google é o popular entre todos os profissionais, o Facebook continua sendo alvo de bullying. Uns ditaram que o alcance das fanpages vai chegar a zero, outros que as mudanças de algoritmo significavam o fim do almoço grátis na rede social.

Como trabalho com redes sociais desde 2007, quando havia apenas Orkut e Fotolog como opções de redes sociais, aponto os 7 pecados capitais contra o Facebook, a empresa mais injustiçada.

1 – Tenha paciência, só o Google são garantias de curto prazo

Quem está no Google já tem algo em mente, buscando um produto ou serviço. Apesar da concorrência ser maior, um bom site e um trabalho razoável de Adwords ou SEO podem dar resultado em questão de dias.

2 – Otimização do Facebook: Sem SMO, sem resultado

Para um site aparecer nas buscas do Google há somente 2 caminhos: SEO ou pagar anúncios do Adwords. Um bom trabalho de SEO custa mais de mil reais, se pegarmos como base, é feito por um profissional extremamente qualificado e experiente e pode demorar meses para resultados.

Por outro lado, o Facebook é a maneira mais rápida de você conseguir acessos para um site. Hoje, 1 em cada 4 visitas de um site são por causa da rede social de Zuckerberg (dados da Shareolic). Para aumentar sua exposição na linha do tempo dos usuários há a necessidade de trabalhar a otimização, conhecida por SMO (Social Media Optimization).

Muitos que reclamam do Facebook trabalham ele como se fosse um micro-ondas: apertam o botão de publicar e esperam ter uma publicação quente em apenas 30 segundos. Sem SMO, sem resultado.

3 – Quem está postando na sua rede social?

Se a resposta é um funcionário sem qualificação de marketing digital ou o próprio empreendedor, não há como cobrar resultados. Inclusive se for a equipe de jornalistas como responsável.
Sou jornalista também, caso algum queira me apedrejar rs. Mas o formato notícia + link para a matéria não é fazer um trabalho de redes sociais, por isso não podemos cobrar o Facebook pelo alcance

4 – Anúncios (quase) de graça

Sim, dá para anunciar praticamente de graça. Em uma campanha bem feita e otimizada, paga-se R$0,001 por visualização e abaixo de R$0,10 por um clique. No Adwords, dificilmente você paga abaixo de R$0,25.
Uma vantagem em relação ao Google está na conversão mobile, já que muitas vezes o comportamento do usuário no celular é voltado ao entretenimento, logo, o Facebook domina a preferência como aplicativo mais utilizado. Conectar-se com um possível comprador na fila de espera de uma consulta ou durante um trajeto de ônibus é algo fantástico.

5 – Mudança de algoritmo

As mudanças do Facebook são manchete. As do Google, muitas vezes passam batidas. A última atualização, chamada de Beija-Flor, afetou 90% das buscas.
Segundo Renato Domingues, gerente de negócios do Facebook, hoje as fanpages e os usuários são tratados da mesma maneira pelo algoritmo.

Como nós temos mais interação com amigos do que com páginas, isso influencia a maneira como a timeline é mostrada. Vale ressaltar, que cada usuário vê uma timeline personalizada de acordo com o seu comportamento na rede.

6 – Relacionamento

As redes sociais nasceram para pessoas conectarem com pessoas. Por isso, tenha em mente que empresas são intrusas neste meio. Estratégias de publicidade, focada em vendas, dificilmente vão funcionar.
Por isso, humanize sua empresa e relacione sua empresa com o seu potencial consumidor.

7 – O Facebook é o novo Orkut! Logo alguém vem tomar o seu lugar.

Recentemente, um estudo da Shopfy, que oferece soluções de e-commerce e é autoridade em vendas online, publicou um estudo mostrando que a melhor rede social para gerar tráfego, pedidos e conversão é o Facebook. E olha que a pesquisa avaliou mais de 37 milhões de visitas e mais de meio milhão de compras.

Isto sem contar que, as demais redes sociais, ficam devendo e muito na questão de métricas. Instagram, Twitter, Google+, entre outras, passam dados muito superficiais de suas ações

Outra prova de que o Facebook está longe de seu auge é o número de contas na rede. Segundo a plataforma de Anúncios da rede social, no dia 30 de março haviam 83 milhões de perfis, contra 94 milhões registrados no dia 30 de julho. O crescimento é de quase 9 mil pessoas por dia."

Renato Melo
É sócio-diretor da Iska Digital, agência especializada em marketing digital, professor de marketing digital na ESAMC Santos e diretor de mobile e inovação do Instituto de Tecnologia de São Caetano.

Nenhum comentário: