Estudante cria aplicativo para orientar cegos

"Um estudante de Desenvolvimento de Software idealizou um aplicativo para orientar deficientes visuais e idosos em Manaus para serem avisados do momento em que um ônibus se aproximar do ponto de parada. O aplicativo funciona em qualquer celular pré ou pós-pago

Brasil 247

 "O seu ônibus foi chamado, aguarde a confirmação do motorista". "Atenção! Seu ônibus está chegando, aguarde". É com essas mensagens de voz, enviadas pelo celular, que os deficientes visuais e idosos da cidade de Manaus serão avisados do momento em que o ônibus estiver se aproximando do ponto de parada.

O aplicativo, ainda sem nome, foi idealizado pelo estudante de Desenvolvimento de Software José Erivaldo Zane Ferreira com o objetivo de solucionar as dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam para identificar as linhas de ônibus, principalmente à noite. O Amazonas tem 651.262 pessoas com deficiência visual e 210.173 idosos, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010.

Ferreira explica que o aplicativo é prático e simples. "Ele funciona em qualquer celular pré ou pós-pago com capacidade de acesso a pacote de dados. Os deficientes visuais utilizam um celular adequado as suas necessidades, com um aplicativo que os orienta de forma auditiva. Nós consideramos o sistema já disponível nesses celulares para desenvolver o nosso aplicativo", explica.

Para utilizá-lo, depois de baixar e instalar o programa, basta que o usuário insira o número da linha de ônibus desejada. O motorista será avisado que em determinado ponto há um deficiente visual ou idoso e, em seguida, confirma a informação. O aviso será enviado ao celular com antecedência de uma parada ao ponto em que o deficiente se encontra.

"Para que essa interatividade ocorra é necessária a instalação de dois dispositivos de áudio (receptores), um no ponto de parada e outro dentro do ônibus, que emitirão o sinal de aproximação do transporte coletivo para o celular", explicou.

Segundo Ferreira, a implantação do sistema depende do interesse da Prefeitura de Manaus em disponibilizar o serviço para a população, fazendo-se necessária a produção dos receptores por uma empresa especializada.
Incentivando a criação de novas tecnologias, o Programa Viver Melhor/Pró-Assistir foi idealizado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (Secti-AM) e lançado em abril de 2012. Seu desenvolvimento e implementação são possíveis graças a parcerias com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e à Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped).

O projeto 'Sistema de Áudio para Identificação do Transporte Coletivo Urbano' foi um dos oito projetos voltados para tecnologias assistivas contemplados, em 2012, pelo Programa Estadual de Atenção à Pessoa com Deficiência - Viver Melhor/Edital de Apoio à Pesquisa para o Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva (Viver Melhor/Pró-Assistir), financiado pela Fapeam.

De acordo com o secretário adjunto da Secti-AM, Eduardo Taveira, os recursos financeiros disponíveis no Edital n. 006/2012-Pró-Assistir permitiram que pesquisadores e inventores transformassem suas ideias em produtos de tecnologias assistivas. "Não fosse o edital, os participantes continuariam com essas ideias apenas na cabeça e nunca se cristalizariam num produto de fato", comenta.

Taveira disse que um novo acesso a recurso financeiro está sendo pensado para o ano de 2015, com a finalidade de transformar os protótipos em produtos. Ele acredita que, com a divulgação dos projetos para a sociedade, os protótipos possam chamar a atenção de organizações não governamentais e de investidores que visem às potencialidades desses produtos e queiram lançá-los no mercado."

Nenhum comentário: