Adolescente propõe mudança tipográfica que reduz gasto com impressões em 34%

A letra mais eficiente entre os modelos foi a Garamond.
Redação, CicloVivo

"Mudanças simples podem causar grandes impactos. Essa premissa é a base para o projeto idealizado pelo estudante norte-americano Suvir Mirchandani. Com apenas 14 de idade, o adolescente teve uma ideia que pode proporcionar uma economia de US$ 400 milhões ao governo de seu país, somente reduzindo os gastos com tinta nas impressões oficiais.

A mudança sugerida por Mirchandani não é absurda e muito menos trabalhosa. Em um de seus projetos de ciência para a escola ele tentou buscar uma solução para reduzir o impacto ambiental das impressões feitas dentro da própria instituição de ensino em que estuda. A estratégia: mudar a fonte usada nos comunicados impressos.

O estudante separou quatro letras comuns: Garamond, Times New Roman, Century Gothic e Comic Sans e calculou quanto de tinta seria necessário para escrever as mesmas letras com cada uma delas. Além disso, ele também analisou o espaço que elas ocupam em uma folha. Para chegar ao resultado, Mirchandani contou com a ajuda de um software chamado APF® Ink Coverage.

A letra mais eficiente entre os modelos foi a Garamond, que se comparada à Times New Roman, permite uma economia de 24% somente na quantidade de tinta. Com o resultado aplicado somente em sua escola, seria possível economizar, anualmente, 21 mil dólares. Mas, o adolescente decidiu ir ainda mais longe.



Inspirado por seu professor, o estudante resolveu aplicar a mesma proposta em escala nacional. Assim sendo, conforme noticiado pela CNN em Pittsburgh, o norte-americano levantou as informações sobre os gastos com impressões na administração geral dos EUA e aplicou a mudança. A estimativa é de que o país gaste todos os anos US$ 467 milhões imprimindo documentos com a letra Times New Roman. Se a mudança ocorresse, a redução poderia chegar a US$ 400 milhões, economizando em tinta e papel.

Os números comprovam que uma mudança bastante simples pode ter resultados ambientais e econômicos enormes. Diante disso, Mirchandani espera poder inspirar pessoas em todo o mundo a mudarem a fonte usada em suas impressões para assim reduzirem suas pegadas ambientais."

Nenhum comentário: