Black Blocs: Facebook se nega a dar informações

"O governo de São Paulo está em queda de braço com o Facebook por conta de pedido judicial de quebra de sigilo de página dos Black Blocs utilizada para convocar atos de vandalismo na capital; conforme o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella, a Justiça já deu parecer favorável à ação movida pelo Estado em novembro último, mas o Face se nega a cumprir decisão; "O Facebook pediu um prazo para analisar. Segundo eles, o assunto chegou a ser submetido à matriz, nos EUA. Mas, objetivamente, ainda não cumpriram. A última manifestação foi no sentido de que a página não estaria mais no ar. O que não é verdade"

Brasil 247

O governo do Estado de São Paulo está em queda de braço com o Facebook por conta de pedido judicial de quebra de sigilo de página dos Black Blocs utilizada para convocar atos de vandalismo na capital. Conforme afirma o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella, em matéria no Blog do Josias, a Justiça já deu parecer favorável à ação movida pelo Estado em novembro último, mas o Face se nega a cumprir decisão.

"O Facebook pediu um prazo para analisar. Segundo eles, o assunto chegou a ser submetido à matriz, nos EUA. Mas, objetivamente, ainda não cumpriram. A última manifestação foi no sentido de que a página não estaria mais no ar. O que não é verdade. A autoridade policial já oficiou ao juiz para refutar a alegação e insistir para que a ordem de abertura dos dados seja cumprida", diz Grella.

Segundo o secretário, a Justiça deve impor multa diária se o Facebook continuar a negar o fornecimento de informações sobre a página do grupo. Ele diz que a abertura dos dados dos Black Blocs no Facebook é "essencial para identificar os responsáveis pela página e a rede de participantes do grupo".
Ainda segundo matéria do Josias, a polícia de São Paulo já consegue mapear líderes e participantes mais ativos do grupo que incita violência e baderna nas manifestações.

"Existem mais de cem pessoas já identificadas como participantes ativas do grupo. Praticamente todas já foram ouvidas. Além da quebra do sigilo da página no Facebook, há outras providências em andamento, que não podemos divulgar", diz Fernando Grella. Ele reitera que o Estado "se esforça para conseguir caracterizar o grupo como organização criminosa".

Nenhum comentário: