Máquina voadora em forma de água-viva tem aplicações futuras

Jornal GGN

"Pesquisadores da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, coordenaram o desenvolvimento de um protótipo de máquina voadora, de pequenas proporções, que imita os movimentos de uma água-viva para se lançar ao ar. Equipamentos voadores que imitam movimento de insetos e animais não são novidade, mas é o primeiro experimento que utiliza métodos de natação natural, e não de movimentos tradicionais de voo.

O aparelho voador desenvolvido pelos pesquisadores Lief Ristroph e Stephen Childress não incluem os chamados “amortecedores aerodinâmicos”, como caudas ou velas, ou ainda um sistema de controle contínuo de velocidade de asas e movimento, como acontece em projetos inspirados nos movimentos de abelhas ou beija-flores. A máquina voadora em forma de água-viva foi anunciada no ano passado, mas seu design e matemática foram exploradas esta semana em publicação do Journal of The Royal Society.

A água-viva mecânica tem apenas dez centímetros de comprimento, com cada asa tendo oito centímetros. Um pequeno cabo conecta o aparelho ao suprimento de energia externa, ao invés de ter uma bateria embutida. O aparelho pesa apenas 2,1 gramas, incluindo um motor, de apenas 1,1 grama. Para conseguir a estabilidade ao longo de diferentes rotas de voo, os pesquisadores experimentaram diferentes conjuntos de asas e padrões variados de movimentos, assim como utilizaram voltagens diferentes para cada trecho.

Apesar de ser um protótipo, os pesquisadores acreditam que o resultado do projeto seja um passo inicial em direção ao pleno desenvolvimento de micro-aviões. “No futuro”, escrevem os cientistas, “aeronaves de pequena escala podem ser usadas em aplicações que vão desde missões de vigilância e reconhecimento de tráfego a monitoramento da qualidade do ar”.

Veja o teste de voo da água-viva:

Nenhum comentário: