O milagre das bicicletas que viram ambulâncias em Uganda


A bike-ambulância em ação

O morador de um vilarejo na África provoca uma pequena revolução fabricando bikes a partir de sucata.

Heather Rousseau, NPR. / Diário do Centro do Mundo

“Quando Chris Ategeka tinha 9 anos, seu irmão mais novo morreu enquanto ele estava tentando levá-lo ao hospital mais próximo – a 16 km de sua aldeia em Fort Portal, Uganda.

Não havia maneira mais rápida de obter cuidados médicos para seu irmão doente, que estava tossindo sangue. “Eu não entendia que o conceito de falta de mobilidade era importante até recentemente. Percebi o quanto isso poderia ter ajudado”, diz.

Chris Ategeka iniciou uma organização sem fins lucrativos para ajudar os moradores na zona rural de Uganda a construir suas próprias bicicletas.
Ategeka e seus cinco irmãos ficaram órfãos depois da morte de sua mãe e seu pai de AIDS. Mas Ategeka, agora com 28 anos, se considera sortudo.

Uma organização de ajuda dos EUA, Y.E.S. Uganda, auxilia órfãos como ele a frequentar a escola. Ategeka está indo bem. Ele impressionou tanto a família californiana que o patrocinou que foi convidado a morar com eles em 2006.

Desde então, fez um curso de engenharia na Universidade da Califórnia, em Berkeley, onde vai começar um doutorado em engenharia mecânica. E ele está usando o que aprendeu para resolver o problema que contribuiu para a morte de seu irmão há quase 20 anos.

Ategeka fundou a CA Bikes, uma entidade sem fins lucrativos que ensina moradores a construir bicicletas-ambulâncias e cadeiras de rodas a partir de sucata. “Eu ensino a construi-las e conserta-las”, diz ele. “Se ela quebra, você sabe o que fazer, e se você quiser construir uma nova eu ensino a pensar fora da caixa.”

Até agora, ele estima que o grupo ajudou na formação de oficinas nas aldeias e na distribuição de mais de 1000 bicicletas-ambulâncias em toda Uganda. Cem delas podem transportar cerca de 10 mil pessoas por mês, de acordo com Ategeka. Cada uma custa o equivalente a US$ 600.

O objetivo do grupo é conectar as comunidades rurais em Uganda a clínicas nas cidades. A organização sem fins lucrativos chamou a atenção dos principais financiadores, como a embaixada dos EUA em Uganda e o Plano de Emergência do Presidente para Combate à Aids.

As bicicletas do grupo são usadas ​​para muitas coisas. Claro, elas são capazes de levar pacientes aos hospitais. Mas também servem como veículos de entrega de mercadoras, para pegar medicamentos de tratamento do HIV e remédios.

“Quando você fala de HIV / AIDS ou tuberculose, a questão é entregar medicamentos para os pacientes que precisam tomá-los regularmente”, diz o Dr. Arthur L. Reingold, professor da escola de saúde pública de Berkeley.

A organização também oferece bicicletas para crianças irem à escola. Uma pesquisa realizada pela CA Bikes revelou que a freqüência escolar aumentou 90% depois que meninos e meninas passaram a andar de bike.

“Quando peguei minha bike, minha vida ficou muito mais fácil”, diz Ategeka, lembrando sua juventude. “Horas de caminhada se transformaram em minutos pedalando.”

Ainda assim, há algumas limitações. “Em áreas montanhosas, pode ser extremamente difícil pedalar grandes distâncias”, diz.

A meta da CA Bikes é a criação de empregos para ser auto-sustentável. Financiamento para o projeto é um desafio constante. A demanda das bicicletas-ambulâncias está superando a oferta. Ategeka está feliz. Ele se maravilha com a capacidade dos moradores dos vilarejos de fazer as coisas funcionarem. “O espírito humano é muito, muito forte”, diz.”

Nenhum comentário: