Igreja desmata centenas de árvores nativas para evento da JMJ


Igreja de Itaipu corta 334 árvores para missa campal. Vice-prefeito de Niterói diz que ação foi lamentável e nega ter dado autorização (Foto: Hudson Pontes / O Globo)

Mais de 300 árvores nativas da Mata Atlântica são cortadas para evento da Jornada Mundial da Juventude


Após uma denúncia, fiscais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), do RJ, flagraram, no começo desta semana, o desmatamento de um terreno da Paróquia de São Sebastião de Itaipu, na Região Oceânica de Niterói.

No total, foram removidas 334 árvores nativas da Mata Atlântica. O objetivo era abrir espaço para celebrar uma missa campal durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), evento que reunirá milhares de jovens entre os dias 23 e 28 de julho no Rio de Janeiro, sob o lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19) – o que torna o fato ainda mais contraditório.

A paróquia se prepara para receber 800 peregrinos.De acordo com O Globo, o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, negou que a prefeitura tenha dado autorização para o corte do terreno, que fica às margens do Parque Estadual da Serra da Tiririca, uma unidade de conservação estadual.

Grael também disse que o episódio é “lamentável” e que um evento destinado à juventude deveria ter caráter educativo e, portanto, compromisso com o meio ambiente e com o futuro.Segundo o secretário de Meio Ambiente de Niterói, Daniel Marques, os responsáveis foram multados e terão de fazer medidas compensatórias.”

2 comentários:

Frederico Feroli disse...

A prova cabal do que eu sempre digo que a merda do cristianismo e suas igrejas e seitas são o maior câncer que existe na face da Terra.

Anônimo disse...

A ignorância caminha de mãos dadas com as religiões servindo de cabresto para humanidade.

Morte a todos os deuses ou Deuses.