Investimento em renováveis deve aumentar 230% até 2030


Melhorias no custo e na competitividade das fontes limpas farão com que setor contribua com entre 69% e 74% da nova capacidade instalada até 2030, apesar das atuais dificuldades da indústria de energias renováveis

Jéssica Lipinski, Instituto CarbonoBrasil

Se o desenvolvimento de energias limpas significa uma esperança de limitação das emissões de gases do efeito estufa, o novo relatório da consultoria Bloomberg New Energy Finance (BNEF) traz boas notícias para a mitigação das mudanças climáticas. O documento, publicado nesta segunda-feira (22), afirma que os investimentos em renováveis podem crescer 230% nas próximas duas décadas, chegando a US$ 630 bilhões anuais até 2030.

Segundo a consultoria, as energias renováveis podem ser responsáveis por entre 69% e 74% da nova capacidade instalada até 2030 no cenário mais provável, considerado ‘o novo normal’. Nesse caso, as energias eólica e solar corresponderiam às maiores participações na nova capacidade de geração de energia, contribuindo 30% e 24%, respectivamente. O carvão, o gás natural e o petróleo contribuiriam com 25%, e o restante seria nuclear. 

De acordo com a BNEF, esse desenvolvimento das renováveis seria devido principalmente à redução de custos nos setores de energia eólica e solar, bem como ao crescimento de fontes não intermitentes de energia limpa, como a hidrelétrica, a geotérmica e a de biomassa.

Em termos do total de energia produzida, a participação das renováveis aumentaria de 22% em 2012 para 37% em 2030. A projeção para o total de capacidade de energia renovável instalada até 2030 é 25% maior do que a estimativa anterior, de 3500 GW.

Uma estimativa mais pessimista, considerada pela Bloomberg como ‘tradicional’, sugere um investimento de US$ 470 bilhões por ano. Já no panorama mais otimista, classificado pela BNEF como ‘eliminando as barreiras’, as exigências de capital para as energias renováveis podem chegar a US$ 880 bilhões anuais até 2030, o que significaria um aumento de 22% nos investimentos em infraestrutura, sistemas de transmissão, smart grids, armazenamento etc.

As previsões foram retiradas do Modelo Global de Energia e Emissões da BNEF, que analisa os principais fatores que influenciarão o futuro do mercado de energia. Para Guy Turner, diretor de economia e commodities da consultoria, as energias renováveis devem se tornar protagonistas no setor energético.

“Essa é a primeira vez que produzimos uma análise tão detalhada do futuro sistema de energia mundial sob diferentes cenários. Isso ressalta que, apesar das notícias recentes que mostram uma desaceleração no investimento em energias limpas desde 2011, as tecnologias renováveis formarão a âncora de novos acréscimos na capacidade de geração, mesmo sob uma visão menos otimista da economia mundial e de escolhas políticas”, colocou Turner.

“O principal fator para o futuro crescimento do setor renovável ao longo desse período é uma mudança do apoio político para a queda nos custos e a demanda natural”, acrescentou o diretor de economia e commodities da Bloomberg.”

O relatório e mais informações podem ser adquiridos pelo site da BNEF.  

Um comentário:

Alexandre Lavrador disse...

Você gostaria de receber milhares de visitas no seu Blog ou Site todos os dias?
Conheça WWW.DIVULGABLOGSITE.COM
Uma ideia simples porém genial!
Um muro onde você cola nele o Banner do seu Blog
ou
Cola o nosso Banner na sua área de parceiros e aparece de graça automaticamente listado na página segundaria: divulgablogsite.com/referrer.php (a segunda página de maior visita do site)
Recebemos uma média de 7 milhões de visitas diárias no muro!
Mais de 400 Blogs já colaram nosso Banner, grave sua marca neste muro e faça parte da história da internet brasileira.




Would you like to receive thousands of hits on your blog or website every day?
Meet WWW.DIVULGABLOGSITE.COM
A simple but brilliant idea!
A wall where you paste it to your Blog Banner


O único site totalmente gratuito especializado em promover encontros infiéis entre casados Trair.tk , apoia esta ideia.