Degelo antártico no verão está mais rápido em 600 anos, diz estudo


Vista aérea da Antártica. Degelo nos verões está mais rápido do que há 600 anos, explicam cientistas (Foto: Eduardo Carvalho/G1)

Derretimento registrado está dez vezes mais acelerado no continente. Fenômeno se acentuou nos últimos 50 anos, afirmam cientistas.

Do G1

O degelo da Antártica durante os verões está dez vezes mais rápido atualmente do que há 600 anos, aponta um estudo internacional publicado neste domingo (14) na revista “Nature Geoscience”.

Ainda segundo a publicação, o derretimento do gelo se acelerou nos últimos 50 anos.

Para obter detalhes a respeito das transformações na Antártica, os cientistas perfuraram calotas da ilha James Ross, no norte do continente, a 364 metros de profundidade. O objetivo era medir as temperaturas de centenas de anos que ficaram registradas no gelo.

De acordo com a agência de notícias France Presse, os cientistas verificaram que camadas sucessivas nas amostras revelaram um movimento de degelo e congelamento.

“Constatamos que há 600 anos as condições eram mais frias na Península Antártica e havia uma menor quantidade de gelo derretido”, explicou Nerilie Abram, da organização britânica British Antarctic Survey.

“Naquela época, a temperatura era, aproximadamente, 1,6º C menor do que as temperaturas registradas no fim do século 20. Além disso, quantidade de neve que derretia a cada ano e depois voltava a congelar era de 0,5%. Hoje, essa quantidade de neve que derrete a cada ano é dez vezes maior”, complementa Abram.

Embora as temperaturas tenham aumentado ao longo de centenas de anos, o degelo na Antártica foi intensificado a partir da metade do século 20, aponta o estudo. Isto significa que, segundo os cientistas, o aquecimento do continente antártico alcançou um nível crítico que mesmo as ligeiras elevações de temperatura podem causar uma forte aceleração no degelo.”

Nenhum comentário: