Brasileiro produz HQs sobre conscientização ambiental


Valença começou a incorporar a sustentabilidade em suas obras ao perceber que o tema não só atrai intelectuais e artistas, mas também tem chamado a atenção de toda a sociedade. | Foto: Divulgação/Léo Valença


O cartunista Léo Valença usa os quadrinhos para convencer a sociedade de que ainda há tempo para construir um mundo melhor. Por meio de histórias descontraídas, o ilustrador ensina para crianças e adultos a importância da preservação ambiental, para que todos possam contribuir para um planeta mais justo e sustentável.

Pinguins torrando no sol ou um urso polar solitário em cima de um pequeno cubo de gelo são alguns exemplos de personagens retratados nos quadrinhos de Léo Valença, que aposta em recursos irreverentes na hora de fazer com que as pessoas se preocupem mais com o planeta.

“Quando o assunto é sustentabilidade, o cartum pode atuar como um importante meio de conscientização, principalmente nos dias de hoje, em que precisamos de novos modelos de gestão de recursos naturais”, diz o ilustrador, que sonhava em seguir a profissão desde criança.

Valença começou a incorporar a sustentabilidade em suas obras ao perceber que o tema não só atrai intelectuais e artistas, mas também tem chamado a atenção de toda a sociedade. Sua primeira publicação de cunho ambientalista é “Aquecimento Global em Cartuns”, que foi produzida em 2010 e conta com a participação de vários desenhistas brasileiros dispostos a levantar a bandeira da sustentabilidade.

Agora, o ilustrador divulga o “Almanaque Ecológico do Lucas”, publicação criada para incentivar jovens e crianças a preservarem o meio ambiente. “As crianças são muito sensíveis ao que veem e podem disseminar boas ações de sustentabilidade, até com seus pais. As atitudes dos adultos de amanhã estão relacionadas com o que aprendem no presente”, conta o cartunista, que acredita em uma geração mais preocupada com o mundo nos próximos anos.

A obra pode ser comprada no site da editora PoD (Print On Demand), que imprime apenas os livros encomendados pelos leitores, a fim de evitar o desperdício de papel. Mesmo percebendo que a sustentabilidade “está em alta” nos dias de hoje, Léo Valença acredita que nem todo mundo tem acesso à educação ambiental.

“A educação é a chave para um futuro melhor. Precisamos incluir a disciplina ‘Consciência Ecológica’ nas nossas escolas, para todo mundo entender a importância do meio ambiente. Todo mundo tem que aprender a não jogar lixo na rua, a não desperdiçar água, a não desmatar, a não construir em áreas de mananciais, nem em beiras de morros e rios”, finaliza Léo Valença, que não mede esforços para desenhar um mundo melhor.”

Nenhum comentário: