Amazônia está mais resistente a mudanças climáticas, aponta estudo


Estimulo ao crescimento por CO2 supera
efeitos nocivos do aquecimento
(Foto: Unboxed Media)
Estimulo ao crescimento propiciado por CO2 supera efeitos nocivos. Pesquisa foi publicada na revista 'Nature' na quarta-feira.

Do G1 / Reuters

A floresta amazônica não é tão vulnerável como se acreditava ao aquecimento global, porque o dióxido de carbono (CO2) também funciona como fertilizante, aponta estudo publicado na revista “Nature” na quarta-feira (6).

De acordo com os pesquisadores, o estímulo ao crescimento propiciado pelo CO2 provavelmente irá superar os efeitos nocivos da mudança climática previstos para este século.

"Não estou mais tão preocupado com uma extinção catastrófica por causa da mudança climática provocada pelo CO2. Nesse sentido, é uma boa notícia", disse o autor Peter Cox, da Universidade de Exeter, na Inglaterra.

Cox também havia sido o autor principal de um estudo que teve grande repercussão em 2000, prevendo que a Amazônia poderia secar a partir de 2050 e morrer por causa do aquecimento. Outros sugeriram que as queimadas poderiam transformar a selva em cerrado.”
Matéria Completa, ::AQUI::

Nenhum comentário: