TERRAMÉRICA – Clonar para preservar


A onça pintada está entre as três
primeiras espécies que cientistas
brasileiros tentarão clonar
‘Cientistas do Brasil avançam para a clonagem de exemplares de oito espécies próprias do Cerrado.

Alice Marconde, Envolverde

Cientistas brasileiros tentam clonar exemplares de espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada e o logo-guará. Seu impacto na conservação ainda não está claro. A iniciativa do Jardim Zoológico de Brasília, em associação com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), já está em sua segunda etapa. Os estudos se encaminham para viabilizar o uso de técnicas de clonagem como ferramenta auxiliar da conservação.

O primeiro passo foi coletar amostras de material genético, ou germoplasma, sob a forma de sangue, espermatozoides, células somáticas e do cordão umbilical. “Já temos 420 amostras de germoplasma armazenadas em nosso banco e vamos continuar coletando”, disse ao Terramérica o pesquisador Carlos Frederico Martins, da Embrapa Cerrados.

Os escolhidos são oito animais, como o lobo-guará (Chrysocyon  brachyurus), a onça-pintada (Panthera onca) e mico-leão-preto (Leojtopithecus chrysopygus), na maioria presentes no Livro Vermelho de Espécies Ameaçadas de Extinção, produzido pelo estatal Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). As amostras foram obtidas ao longo de dois anos. Além das três espécies citadas, o banco conta com germoplasma do cachorro-do-mato (Speothos venaticus), quati (gênero Nasua), tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla), veado-catingueiro (Mazama gouazoubira) e bisão (gênero Bison).
A próxima etapa será capacitar os pesquisadores do zoológico. “Na Embrapa já realizamos a clonagem de bovinos. O que vamos fazer é transferir nosso conhecimento aos pesquisadores para que possam realizar os estudos de adaptação da técnica com animais silvestres”, explicou Martins. A Embrapa foi responsável pelo nascimento do primeiro animal clonado em território brasileiro, a bezerra Vitória, que nasceu em 2001 e viveu até 2011. Depois dela foram clonados muitos outros animais, principalmente bovinos e equinos, que atualmente somam mais de uma centena de indivíduos vivos.”
Foto: Cortesia Zoológico de Brasília
Matéria Completa, ::AQUI::

Nenhum comentário: