Danos com desastres naturais alcançaram US$ 380 bi em 2011



“Os países mais vulneráveis a catástrofes naturais ficam na Ásia, segundo uma classificação publicada na quarta-feira (15), que põe em evidência sua limitada preparação e sua pequena capacidade de reação.

Os danos econômicos decorrentes destes fenômenos alcançaram o valor recorde de US$ 380 bilhões no ano passado.Cientistas que trabalham para a Maplecroft, uma empresa britânica de análise de riscos, revisaram 197 países, que classificaram em função do impacto dos desastres naturais, como um sismo ou uma inundação, em sua economia. Bangladesh aparece como o país mais vulnerável, seguido das Filipinas, da República Dominicana e de Mianmar, que são todos “de risco extremo”. A lista dos dez primeiros inclui Índia, Vietnã, Laos (todos na Ásia), além de Haiti e Nicarágua (nas Américas).

Fragilidade

O “Atlas dos riscos que podem surgir de acidentes naturais” mostra que na medida em que a infraestrutura é medíocre e a governança, frágil, maior será o impacto de uma catástrofe natural. 

“As economias emergentes e em vias de desenvolvimento devem reforçar sua capacidade de responder ao desafio apresentado pelo ambiente de risco, porque comprometem suas ambições de crescimento econômico quando são vítimas de riscos naturais inevitáveis”, destaca Helen Hodge, analista da Maplecroft.

A empresa indica que os danos econômicos mundiais provocados por catástrofes naturais alcançaram em 2011 um recorde calculado em US$ 380 bilhões devido especialmente ao terremoto seguido de tsunami ocorrido no Japão, que representou 55% da conta. Cerca de 20 mil pessoas morreram na tragédia, que ainda detonou um grave acidente nuclear na usina de Fukushima.”


Nenhum comentário: