Grandes volumes de dados não são mais um ´quebra-cabeças` na rotina das empresas

Petabytes e Zetabytes já não representam uma ideia longínqua

Info Online / Informe IBM

"Em um cenário em que até mesmo computadores pessoais já armazenam terabytes de informações, pensar em Petabytes e Zetabytes já não é mais uma ideia longínqua, principalmente quando se trata do mundo corporativo, onde empresas de todos os portes acumulam grande volume de dados, que precisam ser não só estruturados, mas gerenciados de forma que favoreça o melhor aproveitamento deste conteúdo em prol da otimização dos negócios. Mas como transformar esse grande ´quebra-cabeças` de informações em uma ferramenta útil que aumente a competitividade das corporações?

Este é o universo do Big Data, tecnologia de abrangência tão vasta que permite às companhias capitalizar expressiva quantidade de dados, de diferentes origens, para vender produtos, aprimorar o modelo de gestão e, até mesmo desenvolver projetos estratégicos por meio das aplicações de Business Analytics. Exemplo bem-sucedido de aplicação do Big Data é o caso de uma empresa dinamarquesa, que utilizou a plataforma para analisar petabytes de dados climáticos do nível das marés e mapas de desmatamentos, entre outros, em busca dos melhores locais para instalar turbinas eólicas. Uma das vantagens do Big Data observadas pela companhia europeia foi a sensível redução de tempo e a confiabilidade na obtenção dos resultados.

Muito além, um estudo divulgado no último Fórum Econômico Mundial, em Davos, mostra como o Big Data pode ser utilizado na contenção de problemas socioeconômicos ao redor do mundo. Até as Nações Unidas já utilizam a tecnologia em um programa que decifra a linguagem humana na análise de mensagens de texto e posts em redes sociais para prever o aumento do desemprego, o esfriamento econômico e epidemias de doenças. E o Brasil não ficou de fora ao implantar a plataforma, que se tornou importante acessório na descoberta do pré-sal.”
Artigo Completo, ::AQUI::

Nenhum comentário: