Emissões per capita chinesas alcançam as de países industrializados


Relatório afirma que cada chinês foi responsável pela emissão de 7,2 toneladas de dióxido de carbono em 2011, o que coloca o país, pela primeira vez, na média das nações desenvolvidas

Fabiano Ávila, Instituto CarbonoBrasil

As emissões globais de dióxido de carbono (CO2) subiram 3% em 2011 para 34 bilhões de toneladas.  O grande destaque negativo foi a China, que registrou um aumento de 9% em suas emissões, alcançando a assombrosa marca de 9,7 bilhões de toneladas. Isto significa que cada chinês foi responsável pela liberação de 7,2 toneladas de CO2, o que, pela primeira vez na história, os coloca dentro da margem das emissões per capita dos países industrializados (seis a 19 toneladas).

Essas informações estão em evidência no relatório “Tendências das Emissões Globais de CO2”, divulgado nesta quarta-feira (18) pelo Centro Conjunto de Pesquisas da Comissão Europeia (JRC) e pela Agência de Avaliação Ambiental dos Países Baixos (PBL).

De acordo com o relatório, o ranking dos maiores emissores globais apresenta a China em primeiro lugar com 29% do total, seguida pelos Estados Unidos (16%), União Europeia (11%), Índia (6%), Rússia (5%) e Japão (4%). O Brasil, com 450 milhões de toneladas, está empatado com o México, e fica ainda atrás de nações como Coreia do Sul, Canadá e Indonésia.

Quando são analisados os dados per capita, a Austrália lidera absoluta com 19 toneladas anuais. Os Estados Unidos vêm em segundo, com 17,3 toneladas, seguidos pela Arábia Saudita (16,5), Canadá (16,2) e Rússia (12,8). A média da União Europeia ficou em 7,5. O Brasil se destaca positivamente, apresentando apenas 2,3 toneladas.”
Matéria Completa, ::AQUI::

Nenhum comentário: