Relatório: economia verde pode tirar milhões da pobreza

Documento afirma que a Rio+20 é uma oportunidade para acelerar a transição para o desenvolvimento sustentável e apresenta políticas para aumentar a prosperidade, reduzir a pobreza e apoiar a proteção ambiental

Carbono Brasil / PNUMA

Uma transição à economia verde poderia retirar milhões de pessoas da pobreza e mudar o sustento de muitas das 1,3 bilhões de pessoas que ganham apenas USD 1,25 por dia no mundo inteiro, mas somente quando a transição tiver como base políticas fortes e investimentos dos setores público e privado. 
Estes foram os resultados de um novo relatório, Construindo uma Economia Verde Inclusiva para Todos, lançado nesta quinta-feira (14) na reunião de cúpula da Rio+20 pela Parceria Pobreza e Ambiente (PEP, da sigla em inglês) - uma rede bilateral de agências de suporte, bancos de desenvolvimento, agências da ONU e ONGs internacionais. O relatório aponta que muitos países em desenvolvimento e países menos desenvolvidos já estão buscando fazer uma transição para economias de baixa emissão de carbono e que sejam eficientes em seu uso de recursos.
De acordo com o relatório, o aumento significativo dos exemplos atuais postos em prática da economia verde, especialmente nos países em desenvolvimento, tem o potencial de gerar resultados tripartidos: um crescimento econômico criador de empregos, sustentabilidade ambiental e inclusão social.
Porém, os investimentos específicos e as reformas na governança são necessários para superar as barreiras atuais que previnem que muitas comunidades carentes se beneficiem de uma economia verde. 
O novo relatório demonstra que muitos dos Países Menos Desenvolvidos, assim como muitas regiões pobres dos países com renda média, na verdade possuem alto grau de recursos naturais, que os permitem construir uma economia verde que possa reduzir a pobreza de uma forma sustentável.
"Muitos dos países menos desenvolvidos e dos países em desenvolvimento e das comunidades estão aproveitando a oportunidade para aproximar economia e ecologia para que possam gerar resultados sociais transformacionais", diz Achin Steiner, Subsecretário Geral e Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUMA), um membro da PEP, no lançamento do relatório no Rio de Janeiro.
"O desafio para os líderes mundiais se reunindo aqui na Rio+20 é gerar e dar apoio às políticas possibilitadoras e aos pacotes catalisadores financeiros e de proteção social de forma que possa apressar estas ambições e aumentá-las exponencialmente.”

O relatório discute que um grande número de países menos desenvolvidos e das regiões pobres dos países com renda média, na verdade possuem alto grau de recursos naturais, os quais são necessários para dar sustentação à transição a economia verde como uma passagem em direção ao desenvolvimento sustentável.

"Ao abraçar uma economia verde inclusiva, os líderes na Rio têm uma oportunidade rara de melhorar as vidas de milhões de pessoas e abrir as portas a uma nova era de sustentabilidade", diz Manish Bapna, presidente em exercício do Instituto de Recursos Mundiais, que coordenou o estudo. “
Matéria Completa, ::AQUI::

Nenhum comentário: