Em tom de cobrança, estudante diz a autoridades que é preciso ter coragem para “fazer o que é certo”


Renata Giraldi e Carolina Gonçalves, Agência Brasil

“Antes dos discursos dos chefes de Estado e Governo na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, a estudante da Nova Zelândia Brittney Trilford, de 17 anos, chamou a atenção hoje (20) das autoridades estrangeiras para a segurança do planeta e o desenvolvimento sustentável. Em um discurso breve, de pouco menos de dez minutos, Trilford apelou aos líderes políticos para que sejam corajosos e ousados.

"De forma corajosa e ousada, façam o que é certo. Estou aqui hoje para lutar pelo meu futuro. Quero pedir que considerem porque estão aqui. O relógio está correndo", disse a estudante, na abertura da reunião plenária da conferência. Em seguida, ela perguntou: "Estão aqui para fazer bonito ou para nos salvar?"

A estudante da Nova Zelândia foi escolhida por 350 organizações não governamentais em uma seleção promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) no concurso Encontro com a História. Para a Brittney Trilford, o mundo espera que as verdades morais inspirem os líderes políticos internacionais.

Na Rio92, há 20 anos, a estudante canadense Severn Suzuki, de 12 anos, também fez um discurso firme e em tom de cobrança para as autoridades. “Todas essas coisas acontecem bem diante dos nossos olhos e, mesmo assim, continuamos agindo como se tivéssemos todo o tempo do mundo e todas as soluções”, disse ela, à época.

Desta vez, Brittney Trilford advertiu que as autoridades têm 72 horas para decidir o futuro da humanidade – referindo-se à cúpula dos chefes de Estado e Governo que vai de hoje à sexta-feira (22). "Acertei o meu relógio e o tempo está passando: tic, tac, tic, tac", disse.”

Nenhum comentário: