Família alemã protege os últimos cavalos selvagens europeus


Equinos da raça Dülmen são preservados numa área de 860 hectares, no Oeste da Alemanha


Eles são apenas 300 e ainda existem graças ao esforço de uma única família. Os últimos cavalos selvagens europeus, os potros e éguas da raça Dülmen, ainda são preservados por uma família nobre da Alemanha, descendente do Duque de Croy, numa área de 860 hectares no Oeste do país. Os cavalos são mantidos livremente pela família desde 1907. Como a área é relativamente pequena, todos os anos são feitos leilões para colecionadores, que adquirem os animais que excedem a quantidade que o território comporta.

O exemplo europeu revela a dificuldade para a preservação dos cavalos selvagens, diante da escassez de terra, sempre disputada pela agricultura, pela infraestrutura e pela especulação imobiliária.

Nos Estados Unidos, ainda são preservados por uma agência do governo americano 30 mil cavalos selvagens. São os mustangs do Velho Oeste, que encantam pela beleza e espírito gregário. Todos eles vivem em áreas de proteção ambiental e são reminiscências de uma era em que o território era todo deles.”

Nenhum comentário: