Passivo climático sobre os oceanos é de US$ 2 trilhões


Cientistas calcularam quanto a humanidade perderá em serviços ambientais oceânicos até o fim do século devido aos impactos das mudanças climáticas em conjunto com outras ameaças que impomos ao bioma marinho

Fernanda B. Mûller, Instituto CarbonoBrasil

O costume de não planejar o caminho para se alcançar determinados objetivos não é exclusividade dos brasileiros, esta cultura do curto prazo é uma característica generalizada da humanidade e já estamos pagando o preço por décadas de descaso.

Um novo estudo envolvendo pesquisadores internacionais e coordenado pelo Instituto Ambiental de Estocolmo (SEI, em inglês) estima que apenas as mudanças do clima podem reduzir o valor econômico dos recursos marinhos em até US$ 2 trilhões ao longo deste século.

"Valorando o Oceano", que será publicado na forma de um livro revisado por cientistas até o final do ano, ressalta que precisamos urgentemente de uma abordagem integrada para proteção das imensidões azuis.

Grande parte do estudo se dedica à quantificação dos custos da degradação dos oceanos, geralmente invisível nas análises de custo-benefício incluídas nas políticas atuais. Os custos são avaliados ao longo dos próximos 50 e 100 anos sob cenários de altas e baixas emissões e em cinco categorias: pesca, turismo, aumento do nível do mar, tempestades e estoque de carbono.

"O montante relacionado à inação aumenta muito com o tempo, um fator que precisa ser reconhecido integralmente na contabilização das mudanças do clima", alerta Frank Ackerman, diretor do Grupo de Economia Climática do SEI-Estados Unidos.

Apesar de a mudança no clima ser uma ameaça gigantesca, não é a única. Um ponto chave do relatório é que a convergência de estressores múltiplos - acidificação, aquecimento, hipoxia, aumento do nível do mar, poluição e sobreuso dos recursos marinhos - podem levar a danos muito maiores do que individualmente.”
Artigo Completo, ::Aqui::

Nenhum comentário: