Russos alcançam mundo desconhecido no Polo Sul


Cientistas russos acabam de penetrar no lago subglacial Vostok, na Antártica. Imenso reservatório de água temperada, no seu interior podem existir formas de vida totalmente desconhecidas

Brasil 247 / Revista Oásis

Ontem, segunda-feira, 6 de fevereiro, a uma profundidade de 3768 metros, na Estação Vostok na Antártica, nossos cientistas completaram a perfuração e alcançaram o nível do lago subglacial”, anunciou o comunicado oficial russo. Depois de 40 anos de trabalho contínuo, esses pesquisadores conseguiram chegar, com uma broca de 13 centímetros de diâmetro, às portas de um mundo onde ninguém jamais esteve: o maior lago subglacial do Polo Sul.

O lago Vostok é um imenso reservatório de água temperada, sepultado há vinte milhões de anos. Seu comprimento é de 250 quilômetros, com 50 quilômetros de largura e um quilômetro de profundidade. Tão grande quanto o lago Ontário, ele está localizado a 3,7 quilômetros abaixo da superfície. Sobre ele, está uma camada de 3,7 quilômetros de gelo maciço, acumulada graças às precipitações de neve ocorridas durante milhões de anos.

Lá, no coração da Antártica, os pesquisadores do pequeno posto científico russo que há décadas se dedica ao projeto não escondem sua alegria: o Vostok permaneceu isolado do resto do planeta e dos raios do Sol per centenas de milhares de anos, provavelmente por mais de um milhão de anos. Trata-se de um lago real, contendo água líquida. Nesse ambiente podem ter se desenvolvido formas de vida inteiramente desconhecidas.

Neste momento, os pesquisadores da Base Vostok enfrentam a ameaça da chegada do inverno antártico. Procuram assim terminar o mais rapidamente possível os trabalhos que permitirão a coleta de quantidades de água do lago Vostok. Ele é um dos cerca 400 lagos subglaciais antárticos até agora descobertos.”
Matéria Completa, ::Aqui::

Nenhum comentário: