Poluição de rio leva chineses a estocar água


Com altos índices de cádmio carcinogênico, rio Longjang está interditado


Moradores da cidade do sul da China sofrem com a escassez de água potável na região. De acordo com informações da mídia estatal chinesa, o rio Longjang, que abastece o local, apresenta níveis excessivos de cádmio carcinogênico. As substâncias são espalhadas por fábricas e fazendas que concentram metais pesados na região.

Diante dessa situação, os chineses precisam comprar água em outras cidades para estocar na região. Mesmo com pedidos de moradores ao governo chinês, nenhuma providência foi tomada para abastecer a cidade. Em uma semana, os níveis de poluição chegaram a três vezes o limite oficial.

A última verificação feita pela agência estatal de notícias Xinhua apontou as mineradoras da cidade como responsáveis pela poluição no córrego. Segundo o último relatório divulgado pela instituição, níveis excessivos de cádmio foram detectados no último domingo. Para diminuir a poluição, autoridades de Pequim irão injetar no rio 80 toneladas de cloreto alumínio. Após a ação do neutralizante, o governo passará a divulgar os índices de poluição de Longjang.

Em 2009, o governo chinês fechou uma indústria química na província central de Hunan. O fechamento aconteceu depois de uma série de protestos de moradores. A poluição de cádmio matou duas pessoas e afetou outras centenas em apenas um mês. Apesar dos avanços conquistados por Pequim, as autoridades priorizam o crescimento econômico. Ainda não há um programa oficial para diminuir os poluentes.

Após ser pressionado pela população, o governo chinês passou a divulgar dados sobre os níveis de poluição de Pequim. Os primeiros resultados foram divulgados no dia 23 de janeiro (data de início do Ano Novo Chinês). As informações sobre a qualidade do ar na cidade são atualizadas diariamente e coletadas pelo Gabinete de Proteção Ambiental de Pequim.”

Nenhum comentário: