Materiais que mudam de fase podem ajudar a economizar energia


Jéssica Lipinski, CarbonoBrasil/New Scientist

“Você já pensou em morar ou trabalhar em um edifício que derreta? Essa situação pode até parecer um grande problema, mas na verdade poderá se tornar uma solução para a economia de energia. Mesmo parecendo uma saída digna de filmes e livros de ficção científica, esse recurso já está sendo testado em diversos setores, como o da construção civil, o energético e até o de vestuário, e, conforme mostra uma reportagem do New Scientist, logo poderá fazer parte de nossa realidade.

Os responsáveis por essa possível ‘revolução’ são os chamados materiais de mudança de fase (MMFs), substâncias que se solidificam e derretem absorvendo ou liberando energia e ajudando a economizar eletricidade.

O sistema funciona da seguinte maneira: ao receber energia em forma de calor, o material derrete, acumulando o calor; quando resfria, ele elimina esta energia acumulada. Pode parecer algo muito tecnológico, mas o ser humano vem usando esse tipo de processo há milhares de anos, com, por exemplo, a água. A grande vantagem é que agora os compostos pesquisados derretem e solidificam a temperaturas diferentes, que ajudam, por exemplo, a manter a temperatura de um ambiente constante.

“Para derreter gelo usa-se a mesma quantidade de energia que seria necessária para aquecer um volume igual de água a 82 ºC”, explicou Jan Kosny, do Centro Fraunhofer para Sistemas de Energia Sustentável de Cambridge, Massachusetts, que começou a desenvolver os MMFs há três décadas.

No caso dos edifícios, os materiais, produzidos a partir de óleos vegetais, são colocados entre as paredes ou camadas do teto, solidificando à noite e derretendo com o calor do dia. Com isso, essa espécie de gel ajuda a reduzir a quantidade de energia necessária para resfriar o interior do edifício em até 98%, pois acumula o calor que irradiaria para dentro da construção.”
Matéria Completa, ::Aqui::

Nenhum comentário: