Sem China e EUA, não haverá novo acordo sobre poluição


Essa é a mensagem que a União Europeia (UE) levará na semana que vem para a cúpula sobre a mudança climática organizada pela ONU, sobre a renovação do tratado de Kyoto

Brasil 247

Não haverá outro pacto internacional para substituir o Tratado de Kyoto se os países mais poluidores, especialmente a China e os Estados Unidos, continuarem de fora do acordo. Essa é a mensagem que a União Europeia (UE) levará na semana que vem para a cúpula sobre a mudança climática organizada pela ONU, em Durban (África do Sul), e que traçará o cenário internacional depois de Kyoto, protocolo que expira no final de 2012 e que ainda não possui substituto. “Um acordo sem os países mais poluidores não servirá para nada”, afirmou ontem em Barcelona Isaac Valero, membro e porta-voz da Comissão de Ação para o Clima da UE, para descrever a postura de Bruxelas perante a cúpula: forçar um pacto mínimo com os Estados Unidos e a China, responsáveis por mais de 40% do total de gases de efeito estufa lançados na atmosfera, para que eles, por sua vez, arrastem outros países emergentes e cada vez mais poluidores, como a Índia e o Brasil. A reportagem é do El Pais.

A cúpula de Durban será celebrada em meio a um dilema: a emissão de gases que causam a mudança climática bateu recordes em 2010, é previsto que o aquecimento global somará mais 2 graus centígrados até metade do século e os cientistas calculam que a partir de 2017 qualquer tentativa de conter esse aquecimento já será inútil. A ONU, que fracassou em todas as cúpulas anteriores na hora de incluir os países mais poluidores, conseguiu que em 2009 todos os governos estabelecessem precisamente o objetivo de evitar um aumento superior aos 2 graus.”
Matéria Completa, ::Aqui::

Nenhum comentário: